Strava, o adeus?

Maio 19, 2020

Sou membro do Strava desde 15 de janeiro de 2012, sendo que em 2013 escrevi este artigo para realçar as funcionalidades da versão paga e nestes últimos 8 anos tenho assistido ao desenvolvimento da aplicação e como se tornou uma referência no meio do desporto até porque todos conhecemos a frase “Senão está no Strava, não aconteceu”.

O Strava basicamente é uma rede social numa vertente de fitness onde o seu core são os segmentos e a classificação dos mesmos. Treinar, fazer o upload e ver em que segmento conseguiste melhorar o teu tempo, quem nunca fez este ritual depois de um treino? Ou quem nunca saiu para uma corrida e atacar um segmento especifico para subir uns lugares na classificação. Eu pelo menos enquanto alongo em casa, já estou a espreitar na aplicação em que segmento consegui subir na classificação 🙂

Resumindo na alteração de 18 de Maio foi removido da versão gratuita o Training Log que funcionava como diário de treino para ver as cargas semanais e as modalidades por dia. Passa a ser pago as duas principais funcionalidades, como criar percursos sincronizando automaticamente com o Garmin/Wahoo e apenas podermos ver o top 10 de cada segmento masculino e feminino.

 

O valor da mensalidade, 5€ não é muito metendo em perspectiva o dinheiro que se gasta no desporto mas eles têm de fazer valer o seu produto e não apenas jogar com a posição dominante no mercado. A revolta da comunidade com esta medida não é o valor em causa mas sim a falta de inovação do produto porque tem um potencial gigante estando adormecido há 5 anos e nunca se deram ao trabalho de corrigir situações básicas como:

  • Um algoritmo que impede actividades com ritmos dignos de recordes mundiais
  • Impedir criação de segmentos de uso pessoal
  • Criação de segmentos de segundos ou sem qualquer relevância

Muitas novas ideias podiam ser postas em prática antes desta polémica alteração como por exemplo:

  • Desenvolver os clubes como plataforma de comunicação interna, desafios mensais, partilha de percursos ou segmentos privados.
  • Desenvolver e divulgar os eventos/provas e associar-se aos mesmos com um segmento patrocinado.
  • Criar a funcionalidade de votação nos segmentos para serem vistos apenas segmentos na nossa volta acima de 3 estrelas.
  • Quando as sapatilhas estão perto dos 800KM, dar um desconto numa loja online parceira.
  • Plano de treinos para utilizadores com diferentes níveis de experiência, como o Garmin Coach.
  • Publicidade no site.

O Strava sempre deu demasiado gratuitamente desde o início mas como vendiam a nossa data, “heatmaps”, percursos, marcas de produtos dos 50 milhões de utilizadores a Câmaras Municipais (Projecto Strava Metro) e outras empresas sempre achei u

ma boa moeda de troca.

Infelizmente a empresa há muito tempo que não tem visão e estratégia de futuro. Nunca souberam ter um plano pago atractivo, chegando mesmo a ter um pacote de treino, um pacote de segurança e um pacote de análise (ao mesmo tempo!!) sendo que a parte de análise de treino era muito fraca e deixava muito a desejar comparando com outras soluções feitas por programadores através da API do Strava.

Quem quiser uma excelente solução para analisar o treino de uma forma gratuita aceda ao Intervals.Icu feito por um membro da comunidade, sendo que mais valia pagarem pelo trabalho dele e integrar isso dentro do Strava. Aliás a grande prova que há falta de inovação no Strava, é que através da sua API há excelentes ideias tal como o Relive, Intervals.Icu, Veloviewer ou o Elevate. Fica a questão até quando é que vão permitir que haja API gratuitas…

Para fechar, tudo isto foi feito num péssimo timming porque estamos em altura de crise e corte de despesas, uma péssima atitude de comunicação onde ninguém foi avisado antecipadamente que ia haver alterações na API e em vez de darem algum tempo para as alterações, simplesmente quebraram centenas de aplicações gratuitas que ajudaram e muito na fama do Strava. Foi uma pena tirarem A FUNCIONALIDADE que era o seu cartão de visita, os segmentos e a classificação.

No entanto, o azar de uns é a sorte de outros e estou ansioso para saber o que vai acontecer em breve. Se vai aparecer alguma aplicação semelhante, ou se alguma dos grandes players do mercado vão aparecer com a funcionalidade dos segmentos mais desenvolvida.

Provavelmente, isto será o Titanic do Strava.

Leave a Comment